Dicas para recrutar o Analista de Mídias Sociais dos seus sonhos!

Toda empresa – em especial as  pequenas – buscam talentos para facilitar a vida do Departamento de Marketing. Empresas menores não podem se dar ao luxo de contar com gerentes específicos para cada área do mix mercadológico e as ações acabam sendo estruturadas em conjunto, conforme é possível e viável.

O Marketing Drops já trouxe dicas sobre a estruturação de um time focado em mídias sociais e hoje vou falar sobre o recrutamento de estagiários e analistas de Marketing – indispensáveis em tempos de social media. Li um artigo muito bacana sobre o tema no blog da Hubspot e esse post é uma adaptação das sugestões para a realidade do mercado brasileiro.

Antes de anunciar vagas:

Sua empresa com certeza precisa de um analista, mas ela só deve contratar um se:

  • A equipe tem tempo para ensinar e treinar
  • Os líderes pretendem manter o novo talento a longo prazo
  • A organização permitir que o estagiário se ausente para fazer cursos e participar de programas de capacitação fora da empresa

Erros mais comuns:

  • Contratar um estagiário porque o diretor se sente atolado de trabalho;
  • Anunciar vagas de estágio sem que o restante do time fique sabendo;
  • Não ter objetivos e metas para o programa de estágio – a síndrome do “conforme forem aparecendo problemas, você vai aprendendo”. Fuja dessa!

Como definir atividades:

O analista/estagiário tem um papel bastante tático dentro de uma organização, é a pessoa que põe a mão na massa. Porém, essa história de só executar não existe! Se você está do outro lado da mesa, saiba que terá que pensar – e muito! Trazer ideias sempre, sugerir estratégias e não desistir, mesmo depois de alguns nãos.

Trabalhar com mídias sociais não significa que o trabalho do analista começa e termina no Facebook. Ele precisa estar conectado às tendências, buscar conhecimento técnico (estudar web e social media) e compreender os objetivos da empresa como um todo – sejam online ou offline.

Contar com uma relação de atividades a serem desempenhadas é essencial na hora de contratar. Sem essa visão do todo, fica impossível traçar objetivos e mensurar o desempenho do novo membro do time.

Algumas atividades do dia a dia do analista de mídias sociais:

  • Redação de textos
  • Triagem das interações em possíveis crises
  • Resposta para dúvidas e menções nas mídias sociais da empresa
  • Criação e manutenção de perfis
  • Execução tática de promoções (sorteios, concursos, etc.)
  • Monitoramento da marca nas mídias sociais através de softwares
  • Trabalhos com imagens que sejam mais simples (edições, adaptações, etc.)

Características desejadas em um analista de mídias sociais:

Não existe uma receita de bolo para o estagiário perfeito, mas algumas características são essenciais para quem quer trabalhar com qualquer vertente de Marketing Interativo. Dentre as características intangíveis, as principais são: curiosidade, pró atividade e relacionamento. Mídias sociais são baseadas em trocas de informação. Um analista conecta múltiplos departamentos, é ele que terá que buscar as respostas corretas e intermediar interesses nem sempre convergentes entre os setores. Se você odeia se relacionar/conversar/escutar, repense seu desejo de trabalhar na área!

Na parte técnica, as características desejadas são bem mais específicas:

  1. Conhecimento de gramática, ortografia e sintaxe: nada é pior do que erro de português na presença digital de uma marca. Revisar todos os textos antes da publicação por medo de encontrar algum assassinato à Língua Portuguesa é impraticável. Fique de olho na qualidade da escrita do candidato.
  2. Habilidades avançadas de redação: não basta escrever corretamente, é preciso escrever bem! Conseguir contar uma história, estruturar uma narrativa envolvente, ir direto ao ponto… Existem dicas que auxiliam o web writing e a adequação de textos em diferentes mídias sociais, um conhecimento que o analista deve dominar.
  3. Presença digital do candidato: é difícil confiar em quem fala mas não faz. Por isso, o candidato ideal mantém atualizadas suas redes sociais de forma consistente. Quem mantém um blog ganha pontos, porque é o tipo de projeto pessoal que exige disciplina, comprometimento e que dá vivência sobre estratégia de conteúdo na web. Estagiários, criem um bom perfil no Linkedin! Essa é a rede social de quem tem carreira – e não emprego – e lá estão discussões que não acontecem em outras mídias.
  4. Comportamento em mídias sociais: sem hipocrisias, somos todos avaliados em redes sociais. O que publicamos, comentamos e curtimos diz muito sobre nossa índole e sobre nossa maneira de encarar os limites entre o domínio público e o privado. Candidatos extremamente conectados, que saem compartilhando informações como se não houvesse amanhã costumam ser problemáticos – baixa capacidade de concentração são inimigos dos analistas de forma geral. Síndrome do “over-sharing”, piadinhas de mal gosto, racismo, preconceito e linguagem de baixo calão jogam contra um candidato – para qualquer vaga.
  5. Capacidade de análise: perfis analíticos tendem a sair-se bem em cargos que envolvam mídias sociais, especialmente devido à necessidade de monitorar a marca em meios digitais. A habilidade de analisar e a visão do todo são diferenciais para o estagiário 2.0.

Como estruturar a entrevista:

A melhor entrevista é dividida em duas etapas. Na primeira, uma conversa informal quebra o gelo entre a empresa e o candidato. São solucionadas dúvidas de ambos os lados, o recrutador explica as atividades que serão desempenhadas e o objetivo da empresa com aquela vaga.

Acho bacana que o tom seja de conversa e não de interrogatório, fica mais fácil perceber os comportamentos do candidato, como a curiosidade e a capacidade de relacionamento interpessoal. Ao fazer muito terrorismo e fulminar o estagiário com perguntas, o resultado será um só: medo. Quem tem medo fica nervoso, quem fica nervoso erra. A entrevista não existe pro ego do recrutador, existe para que se possa entender se o candidato se encaixa naquilo que a empresa busca.

Caso o analista em potencial possua perfil e competências emocionais condizentes com a vaga e estilo da empresa, ele poderá passar para a segunda etapa da entrevista: o teste prático. Confiar somente na conversa informal é muito arriscado, um estagiário precisa saber o que está fazendo.

Crie um caso prático e estipule um tempo para que o candidato resolva, como se fosse uma prova.

Sugestões de casos práticos:

  1. Problema de Marketing
  2. Briefing com objetivo para campanha
  3. Post pro blog institucional (aqui vale fornecer material para averiguar o aproveitamento de fontes externas);
  4. Questionário que avalie a visão do analista, quanto às oportunidades e ameaças de uma estratégia em mídias sociais para a empresa
  5. Conceituar uma crise fictícia em mídias sociais e questionar sobre as condutas que poderiam ser adotadas.

Onde encontrar candidatos:

Agora você já sabe o que procurar em um analista. Mas, onde eles se escondem?

Nas boas universidades! Tenha uma instituição de ensino como sua parceira nessa busca. Procure a coordenação dos cursos desejados, converse, explique seu objetivo e peça para que a vaga seja enviada aos alunos através da lista de e-mail interna. Cartazes, editais e boca a boca ajudam, mas o melhor é contar com pessoas chave dentro da instituição, que fazem a notícia circular com o impacto merecido.

Alguns cursos são especialmente bons como fonte de talentos para atuar com mídias sociais: Comunicação Social, Marketing, Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade & Propaganda.

Empresas com atuações mais técnicas, como design, economia e engenharia contratam estudantes dessas áreas com competências complementares para atuar em mídias sociais. Acho essa uma estratégia fantástica! Esse analista não será um peixe fora d’água no escritório e a polivalência auxilia o dia a dia em empresas com rotinas mais específicas.

Parceiros verticais ajudam muito no processo! Bons exemplos: Seção Jovens da Cia de Talentos e a ferramenta focada no Twitter Social Vagas. Se a sua empresa já conta com presença digital e um dos objetivos para mídias sociais for a atração e retenção de talentos, use os canais oficiais para divulgação. Isso mostra que a empresa está engajada em fazer uso estratégico das ferramentas que possui.

Remuneração:

A remuneração para o cargo de analista de Marketing varia bastante, dependendo da região, maturidade do mercado e porte da empresa. Para equipes pequenas e médias, o salário varia entre R$600,00 e R$1.500,00 – podendo haver benefícios extras. As variáveis: nível de conhecimento técnico, já ter concluído a graduação, potencial para desenvolver estratégias e as habilidades múltiplas (Ex: o candidato consegue ser alocado em diversas funções sem perder qualidade – tem conhecimento de photoshop, redação e excel).

Paciência é ingrediente essencial para a busca de estagiários e analistas! Não deixe para em cima da hora, planeje essa etapa, garantindo que você terá tempo para procurar por um bom profissional. Boa sorte! :)

Sua empresa precisa de auxílio para maximizar resultados em redes sociais? Entre em contato com Camila Renaux Consultoria em Marketing Digital!

Camila Renaux

Camila Renaux

Consultora de Marketing Digital em Blumenau (SC), especialista em Marketing e em Gestão de Negócios Interativos. Novas mídias, inovação e plataformas interativas fazem parte da sua rotina, assim como o planejamento e a elaboração de estratégias digitais - e suas métricas.

Comentários

  1. Marcos disse:

    muito bom minha gerente esta me incentivando a fazer um curso assim. Gostei bastante.

    • Camila Renaux Camila Renaux disse:

      Bacana, Marcos!

      O estudo e a capacitação são fundamentais para a formação de profissionais focados em Mídias Sociais.

      Fico muito feliz que tenha gostado do post :)

  2. Excelente texto. Totalmente real.
    Achei muito legal o comentário sobre não fazer interrogatório e nem terrorismo com os candidatos.
    Como Consultor de Recursos Humanos (UNUS), afirmo que esta prática já está ultrapassada, e há muito tempo. Num mercado onde “os candidatos escolhem” onde querem trabalhar, a empresa contratante deve tratar seus candidatos como tratam seus clientes, ou seja, da melhor forma possível.
    Como diria a Camila Renaux: “Fica a dica!”

    • Camila Renaux Camila Renaux disse:

      Valter, adorei seu comentário!

      Sua bagagem profissional enriquece o post e eu agradeço por dividir um pouco do seu conhecimento com todos nós, aqui no Marketing Drops!

      Apareça sempre! :)

Deixe uma resposta